Can't connect to MySQL server on '200.170.88.134' (10061)Can't connect to MySQL server on '200.170.88.134' (10061)
      Voltar para a Home                  
Vacinas, passaportes, dicas e informaçõesVárias opções de diversão para todos os gostosContrato de Aquisição de Viagens Nacionais e Internacionais


 

Portal  Radar

 
30 PROGRAMAS IMPERDÍVEIS EM SÃO PAULO


São Paulo é uma cidade antenada, de vanguarda, geradora de tendências, estilos e costumes. Capital dos negócios, da cultura, do entretenimento e da gastronomia na América Latina, é uma cidade global, formada por pessoas de mais de 70 diferentes nacionalidades e descendências.



Por toda essa grandiosidade e diversidade, há incontáveis passeios possíveis na cidade, todos com diversão garantida. Mas alguns deles são realmente imperdíveis. Separamos 30 programas para você não ficar de fora do melhor de São Paulo. Confira nossas sugestões.


 

1 Comer sanduíche de mortadela e pastel de bacalhau no Mercado Municipal;
2 Conferir os Cantos Gregorianos do Mosteiro de São Bento;
3 Assistir a um concerto na Sala São Paulo ou no Teatro Municipal;
4 Apreciar a vista da Torre do Banespa;
5 Assistir à montagem de um musical da Broadway numa das casas de espetáculos;
6 Fazer um roteiro de compras entre a Rua 25 de Março, os bairros do Brás e do Bom Retiro;
7 Jantar no Terraço Itália apreciando a vista em 360º de São Paulo;
8 Visitar um dos grandes museus da cidade, como Masp e Museu do Ipiranga;
9 Curtir os bares da Vila Madalena e as baladas da Vila Olímpia;
10 Visitar o Parque do Ibirapuera e suas atrações;
11 Fechar a noite numa das inúmeras padarias 24 horas da cidade;
12 Caminhar à noite pela Avenida Paulista;
13 Visitar o diferente Museu da Língua Portuguesa e a incrível Pinacoteca, ambos na Luz;
14 Conhecer centenas de espécies de animais no Zoológico e dar uma esticada até o Jardim Botânico;
15 Conferir o cardápio de uma das cantinas do Bixiga;
16 Visitar a rota das grandes grifes internacionais na rua Oscar Freire e no Shopping Iguatemi;
17 Tomar um chá no restaurante Skye, do Hotel Unique;
18 Assistir a um páreo no Jockey Club;
19 Subir no Pico do Jaraguá;
20 Passar um dia relaxando em um dos vários spas, com direito a banho de ofurô e massagem relaxante;
21 Visitar as feiras da Liberdade e da Praça Benedito Calixto;
22 Ir a uma das 1500 pizzarias da cidade;
23 Conferir uma corrida no Autódromo de Interlagos;
24 Assistir a um jogo no Estádio do Pacaembu;
25 Passear em umas das mega livrarias de São Paulo, como a Cultura, do Conjunto Nacional, e a Fnac, na Paulista;
26 Visitar uma das centenas de exposições da cidade;
27 Tomar um café em uma das cafeterias internacionais, como Havana e Starbucks;
28 Passear pelo Centro Histórico, passando pelo Pateo do Collegio, Largo São Francisco, Marco Zero e Catedral da Sé;
29 Visitar uma grande feira em um dos centro de convenções paulistanos, como o Parque Anhembi;
30 Participar de um ensaio em uma quadra de escola de samba.

UM DIA CULTURAL

São Paulo é vanguarda. Quem gosta de cinema, teatro, artes plásticas e dança vai aproveitar o grande pólo cultural do país. Temos na cidade o Masp, o mais importante museu de arte da América Latina. As turnês de badalados artistas de todo o mundo passam por aqui. Dezenas de centros culturais vivem em constante rodízio de temáticas, com mostras que vão das novidades do universo digital às tendências da música eletrônica. Tudo isso atualizado com a frequência que os amantes da cultura urbana merecem.

Manhã
A Avenida Paulista é o coração (financeiro, cultural, etc.) de São Paulo. Você pode começar seu passeio na estação Consolação de metrô. A região é repleta de padarias que servem um farto café da manhã. Satisfeito, siga para o Conjunto Nacional, erguido em 1952. Em seu terraço, já se apresentaram artistas como Nat King Cole e Marlene Dietrich. Nos anos 70, a decadência do conjunto culminou no incêndio de 1978. Em uma construção totalmente restaurada, a galeria abriga o Conjunto Cultural da Caixa, onde há exposições de artes plásticas, o Cine Bombril, que possui duas salas que exibem filmes alternativos, e a Livraria Cultura, ícone para os cults. Três quadras adiante, em frente ao Parque Trianon, o incomparável Masp (Museu de Arte de São Paulo) inacreditavelmente se equilibra sobre duas colunas. Na artimanha arquitetônica de Lina Bo Bardi, admire obras de artistas como Rafael, Goya, Renoir, Van Gogh e Portinari. È aconselhável que reserve no mínimo três horas para a visita. Almoce em um dos restaurantes badalados da região.

Tarde
Para digerir as delícias, é a vez de visitar uma exposição de arte ou assistir a um espetáculo musical no Itaú Cultural, no Sesc Paulista ou no prédio de estrutura piramidal da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), cujo teatro, além de peças juvenis e adultas, exibe shows de música pop e MPB, apresentações de dança e concertos eruditos. É possível ainda participar de um sarau ou uma oficina cultural na Casa das Rosas. Em meio à sombra dos altos prédios, ela é ponto de encontro de poetas e uma das únicas mansões datadas do início do século 20 que ainda sobrevivem no local. A construção foi projetada por Ramos de Azevedo, engenheiro e arquiteto que assinou também o projeto do Teatro Municipal.

Noite
A essa altura, uma sessão de cinema é um alento para as pernas. Opções são inúmeras, inclusive para quem prefere uma programação alternativa. Alguns exemplos são os cinemas localizados na própria Avenida Paulista, Rua da Consolação e Rua Augusta. Já quem prefere um bom teatro pode ir ao Teatro Renaissance, que fica no hotel homônimo. Se der sorte, pode estar em cartaz um texto interpretado por atores renomados. Já o Teatro Abril, que tem fachada e saguão tombados pelo Patrimônio Histórico, sempre apresenta espetáculos musicais, muitos deles readaptações da Broadway. Para jantar, considere os excelentes restaurantes da região dos Jardins e, para fechar a noite, assista a shows ao vivo de primeira linha em alguma das diversas casas de show de São Paulo: um bom motivo para ficar acordado na cidade que não para.

UM DIA PELO CENTRO


História, arquitetura, comércio tradicional. Assim é o Centro da cidade de São Paulo. A revitalização recente tem trazido um jeitinho de capital européia para a região que por muito tempo ficou esquecida pelos paulistanos. Hoje, vemos fachadas antigas com caras de novas, charmosos cafés, exposições de arte e concertos de música erudita. Para percorrer longas distâncias, a dica é o bilhete único, que pode ser utilizado tanto no metrô quanto no ônibus para bons passeios pela região. E como não podia faltar: deixe o coração bater mais forte no cruzamento das avenidas Ipiranga e São João.

Manhã
Calce sapatos confortáveis, pois o que faz a diferença neste roteiro deve ser desfrutado a pé. Descendo na estação Sé do metrô, a primeira parada é em alguma das padarias mais antigas da cidade, na Praça João Mendes. Impossível resistir aos pãezinhos macios e às tentadoras vitrines de doces. Depois, visite a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, datada do final do século XVII. A fachada, simples, camufla um interior dos mais interessantes da cidade, com destaque para o belíssimo forro da nave central, pintado pelo padre Jesuíno do Monte Carmelo, em 1798. Atraves¬sando a avenida, vá à Catedral Metropolitana, na Praça da Sé. São de rara beleza os vitrais, o órgão italiano que possui mais de 10 mil tubos e o som do carrilhão com 65 sinos de bronze. Há visita monitorada, que permite acesso à cripta onde estão enterrados o jesuíta Bartolomeu de Gusmão e o cacique Tibiriçá. Pertinho dali, no cruzamento das ruas Floriano Peixoto e Roberto Simonsen, à altura do 136B, fica o Solar da Marquesa, raro exemplar residencial urbano do século XVIII. Ao final da rua fica o conjunto arquitetônico do Pateo do Collegio, berço da cidade, fundada em 1554. O Museu Padre Anchieta expõe peças raras, como a primeira pia batismal da igreja do Colégio, de 1556. Depois, siga para a Rua da Quitanda e visite o Centro Cultural Banco do Brasil e, bem perto, a Torre do Banespa.

Tarde
Uma rápida viagem de metrô até a estação Luz leva ao bairro do Bom Retiro, com boas opções de restaurantes com ótimos preços, Lá ainda pode-se aproveitar uma para comprinhas na Rua José Paulino e arredores, com suas populares lojas e confecções de moda feminina, vendidas a preços convidativos. Volte de metrô para a Sé e siga para o Largo São Francisco, símbolo cultural e estudantil da cidade. Ao lado, está o Convento de São Francisco e as Igrejas de São Francisco de Assis e das Chagas do Seraphico Pai São Francisco, expressivo conjunto rococó da cidade. Outro local interessante é a Galeria do Rock, famosa por concentrar lojas de produtos relacionados ao rock, além de estúdios de tatuagem, piercing e ateliês de serigrafia. Aproveite para vasculhar relíquias entre discos de vinil e CDs.

Noite
O happy hour começa com os bolinhos de bacalhau e chope cremoso, regados a muito samba e MPB nos famosos bares do Centro, referências dos botecos paulistanos. Há também opções de restaurantes para jantares a dois ou em família, todos muito tradicionais, com massas generosas. Depois de tudo, se ainda tiver fôlego para romper a manhã dançando, vá aos bares-danceterias do Edifício Copan, projetado em formato de “S” por Oscar Niemeyer.

UM DIA AO AR LIVRE


Muitas fotos aéreas de São Paulo dão a impressão de que a cidade se restringe ao rótulo de “selva de pedra”, amontoada de cinzentos arranha-céus. Os muitos prédios existem, sim, e a arquitetura da metrópole é motivo de orgulho. Mas há vários passeios para quem não abre mão de contato com a natureza. Além dos parques, a capital paulista conta com bons restaurantes e bares com menos paredes e tetos e mais vistas para o céu e a calçada. Este roteiro apresenta uma alternativa para quem busca conhecer, em um dia, o que a cidade tem de melhor ao ar livre.

Manhã
Um café da manhã caprichado em uma das famosas padarias da cidade é fundamental para quem deseja fazer esse passeio, que exige boas caminhadas. Depois, siga para o Parque Ibirapuera. Criado em 1954, com projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer e paisagístico de Roberto Burle Marx, o parque tornou-se um dos principais símbolos da cidade. Comece explorando o Viveiro Manequinho Lopes, onde são produzidas as mudas de espécies herbáceas e floríferas e os arbustos utilizados pela prefeitura para ornamentar as vias públicas da cidade. Em seguida, faça uma visita ao acervo do Museu de Arte Moderna (MAM) ou do Museu Afro Brasil. Também não deixe de conferir se há alguma feira interessante na Bienal ou uma inusitada exposição na Oca. Entre uma paradinha e outra, aproveite as pistas de cooper, lanchonetes, playgrounds e quadras poliesportivas do parque.

Tarde
Ao deixar o Ibirapuera, almoce em algum restaurante que disponibilize áreas ao ar livre na cidade. A melhor dica é escolher algum que já tenha sido uma fazenda ou chácara nos séculos passados, locais que guardam histórias da época colonial no Brasil. Após o almoço, a dica é conhecer o Parque Alfredo Volpi, no Morumbi. Inaugurado em 1971, o local abriga nascentes, lagos e espécies de pássaros raros de serem vistos em São Paulo. Esse verdadeiro bosque possui a maior biodiversidade em zona urbana de São Paulo e suas trilhas na mata densa convidam a uma caminhada com aventura. No fim de tarde, a pedida é a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, também no Morumbi. Misto de parque, museu e centro de arte, conta com um acervo de 1500 peças, divididas por temas: Brasil Colônia, Brasil Império e Mestres do Século 20. A maioria dos móveis, pinturas, esculturas e pratarias pertenceu à família Americano. No fim da visita, não deixe de experimentar o chá, servido à moda inglesa no salão integrado ao parque.

Noite
Se estiver fazendo este percurso numa segunda-feira, não deixe de ir ao Jockey Club de São Paulo, assistir às corridas de cavalo, que começam às 18h30. Apostas custam 2 reais. Em seguida, escolha um restaurante com festas e shows temáticos, ou ainda um ambiente mais aconchegante: opções ao ar livre para curtir a noite paulistana é o que não falta por aqui.

UM DIA PELAS BELAS ARTES


A estética da cidade muitas vezes surpreende com linhas de elegância sublime. E não poderia ser diferente: São Paulo foi berço do Modernismo no início do século 20 e desde então é pólo e reduto de artistas e arquitetos que expressam suas concepções de beleza em paredes e edifícios. Em Higienópolis, casarões ecléticos se misturam aos prédios modernistas. Perto da Estação da Luz, centros culturais revelam refinamento artístico em construções restauradas que unem o histórico ao contemporâneo. Sem falar dos museus espalhados aqui e ali, incluindo um totalmente dedicado à língua portuguesa, o único do mundo alusivo a um idioma.

Manhã
Passeie pelo bairro de Higienópolis, que tem como destaque a fachada dos prédios modernistas que surgiram a partir da década de 50. Siga à Praça Vilaboim, uma das mais charmosas de São Paulo. No local há boas opções de padarias para um bom café da manhã. Logo em frente, fica a Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, sede do Museu de Arte Brasileira, com seu acervo de 2500 obras de artistas nacionais e de estrangeiros radicados no país. As esculturas da entrada e os vitrais do saguão merecem atenção especial. Na Rua Bahia, em meio a casarões de sonhos e edifícios luxuosos, está a Galeria Vermelho, que realiza com frequencia mostras de arte contemporânea abertas ao público.

Tarde
Na hora do almoço, aposte em uma boa cantina da região da Bela Vista. Há polpettones que são uma verdadeira obra-prima. Em seguida, passe pelo Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido como Pacaembu, palco de clássicos do campeonato paulista. O estádio foi inaugurado em 1940 por Getúlio Vargas, que destacou suas “linhas sóbrias e belas da sua imponente massa de cimento e ferro”. Próximo dali fica o Memorial da América Latina, projetado por Oscar Niemeyer. O conceituado arquiteto assina também a escultura principal, que fica na fachada: a mão espalmada, com baixo-relevo da América Latina em vermelho, como um filete de sangue a escorrer. Há também a opção de ir à belíssima Pinacoteca do Estado, que fica num edifício histórico inacabado. Restaurado, hoje os tijolos aparentes se contrapõem a elementos arrojados. Seu acervo de mais 5 mil obras contempla principalmente artistas brasileiros, mas também há espaço para esculturas francesas de Auguste Rodin e Camile Claudel. Bem ao lado, fica o Parque da Luz, parque mais antigo da cidade, onde é delicioso fazer uma pausa. Do outro lado da avenida, o Museu da Língua Portuguesa está instalado na Estação da Luz. O espaço é totalmente dedicado à língua, à literatura e à história. Na mesma região está o Museu de Arte Sacra, um dos mais completos do gênero no país. O prédio, de arquitetura colonial de 1774, mantém expostas mil peças. Vale ainda um passeio pela Vila dos Ingleses, tombada pelo Patrimônio Histórico e antiga residência dos britânicos que construíram a estação de trem.

Noite
Reserve a noite para assistir a um concerto na Estação Júlio Prestes, mais precisamente na Sala São Paulo. Totalmente restaurada, deslumbrante aos olhos, ela se tornou templo da música erudita por conta de sua excelente acústica. Para jantar, escolha um dos restaurantes que recebem exposições de artes plásticas ou fotografias. Encerre a noite com uma boa música em uma das casas noturnas da cidade que dispõe de música ao vivo. Você terminará o dia convencido de que a metrópole não foi feita apenas com concreto, mas também com artistas.

UM DIA DESCOLADO


Só uma cidade multicultural, sem preconceitos, sem medo do futuro e em constante reconstrução pode ser um laboratório de tendências. E São Paulo proporciona experiências variadas, que vão da moda à gastronomia, passando, é claro, pelo comportamento. Uma volta pela Vila Madalena e pelo bairro dos Jardins revela as cores, os sabores, os sons e os visuais inusitados que fazem da cidade uma verdadeira festa para os sentidos dos antenados mais exigentes.

Manhã
Um dia hype começa nas mesinhas, dispostas na calçada, das charmosas padarias da Vila Madalena, que oferecem receitas tradicionais de croissants, pão-francês na manteiga, entre outros. Se acordar tarde, opte por um caprichado brunch. Uma caminhada pela Vila Madá, apelido carinhoso do bairro, ajuda a digestão. Revire as lojas das ruas Harmonia e Aspicuelta, onde há roupas, móveis e acessórios criativos. Depois, visite o Instituto Tomie Ohtake, instalado num dos mais arrojados e polêmicos edifícios da cidade, e confira as mostras em cartaz. Para o almoço, opte por um restaurante brasileiro da região ou, se preferir um lanche, vá ao bairro vizinho, Jardins, e escolha uma das lanchonetes do bairro, que lembram as norte-americanas e possuem sanduíches deliciosos.

Tarde
A Galeria Ouro Fino é um dos templos dos amantes da moda e da música eletrônica. É o local onde modernosos fazem seus achados entre lojas que misturam antigos alfaiates, moda alternativa e tatuadores. As calcinhas-cueca são hits. Os saudosistas viajam no tempo nos brechós que vendem roupas dos anos 20, 30 e 40. Os mais corajosos saem de lá com piercings. A uma quadra, fica a Rua Oscar Freire, com suas vitrines chiquérrimas das melhores marcas do mundo. Não deixe de aproveitar o delicioso desfile de moda de rua que rola nas calçadas. Siga o agradável passeio até a Alameda Lorena, onde também ficam lojas interessantíssimas. Cafés da região são pontos estratégicos para uma pausa - em ambiente moderno, cafés especiais são tirados por baristas experientes. Quando a noite cair, confira a programação dos cinemas locais, como o CineSesc. Redutos dos cinéfilos de Sampa e com decoração classuda, estes cinemas exibem filmes alternativos, fora do circuito comercial.

Noite
A cozinha contemporânea dos restaurantes dos Jardins são ícones hype da cidade. Estenda a noite nos bares arrojados e pródigos em baladas descoladas, onde você encontrará uma moçada criativa e antenada. A despedida da cidade será inesquecível em qualquer um desses lugares.

UM DIA ECONÔMICO


A cidade mais cara do país é também a mais democrática. Experiente em receber imigrantes, ela acolhe até os turistas que não querem gastar muito. Todo dia há uma peça teatral, um concerto ou uma exposição de graça, ou quase. O metrô serve várias das atrações do Centro e da Avenida Paulista. E sempre há um local bom e barato por perto para comer quando a fome aperta.

Manhã
Desça na estação Sé do metrô, em frente à Catedral Metropolitana, um dos cinco maiores templos góticos do mundo. Siga em direção ao Pateo do Collegio, onde começou a história da cidade, e inicie lá o seu dia: faça o desjejum num dos famosos cafés da região, em agradáveis áreas ao ar livre. De lá, vá até o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A construção, em estilo neoclássico, abrigou a primeira agência do banco na cidade, e hoje abriga sempre uma ótima exposição – e de graça. No espaço são realizadas também mostras de cinema, com entrada de apenas 4 reais. O passeio passa pelo Edifício Altino Arantes, onde fica a Torre do Banespa, aberta ao público de seg. a sex., das 10h às 17h, e é possível ver boa parte da cidade. Dias ensolarados são os melhores para esta paisagem, que fica ainda mais bonita. Perto dali fica a Ladeira Porto Geral, de onde, seguindo os sacoleiros, você irá desembocar na Rua 25 de Março, principal centro atacadista da América Latina. Lá, compra-se de tudo, por preços mínimos. Para circular, é preciso vencer os vendedores ambulantes e o trânsito, mas vale a pena. Nada longe ficam as ruas Santa Efigênia, especializada em eletroeletrônicos, e São Caetano, com suas lojas que vendem vestidos e acessórios para noivas. Quem preferir comprar calçados em pontas de estoque precisará atravessar a cidade até a Rua João Cachoeira, no Itaim, uma das muitas ruas de comércio especializado espalhadas pela cidade. Agora, se a vontade for trocar as compras por programas culturais econômicos, o ideal é embarcar na estação Luz do metrô e seguir até a estação Consolação, na Avenida Paulista.

Tarde
Caminhe pela Avenida Paulista atentando para a riqueza e diversidade dos edifícios e das pessoas. Almoce em um dos restaurantes da região que oferecem bufês e bandejões requintados, proporcionando um bom custo-benefício. Depois, dê uma esticada até a estação Brigadeiro do metrô e vá até a estação Vila Mariana, para visitar o Museu Lasar Segall. Ele funciona na casa em que o pintor russo, naturalizado brasileiro, morou e possui 3 mil obras do artista. Atente para as casas modernistas da rua Berta, tombadas pelo Patrimônio Histórico. Desfrute de uma breve pausa para beliscar uma comidinha deliciosa em algum boteco econômico por ali.

Noite
As várias montagens teatrais estão entre as ótimas opções de entretenimento da cidade. O Centro Cultural São Paulo, ladeado pela estação Vergueiro do metrô, é palco constante de shows e peças excelentes a preços bastante convidativos. O mesmo acontece no Teatro Popular do Sesi, no prédio da Fiesp, em frente à estação Trianon-Masp, na Avenida Paulista. Para o jantar, a cozinha árabe é uma gostosa alternativa e conta com diversos restaurantes em São Paulo que integram a categoria dos bons e baratos. Se você for boêmio, investirá o dinheiro economizado durante o dia na noite. Bares e casas noturnas com música ao vivo e cerveja barata. Depois, é só esperar o metrô reabrir, às 4h40, e voltar para o hotel.

UM DIA SOFISTICADO


Restaurantes refinados, hotéis cinco estrelas e até mesmo passeios de helicóptero estão entre os programas mais luxuosos da capital paulista. Para quem não tem medo de estourar o limite do cartão de crédito, há lojas chiquérrimas, de grifes internacionais, a maioria delas localizada em shoppings e nas imediações da Rua Oscar Freire, nos Jardins. O bairro ainda é endereço de galerias de arte badaladas, que vendem obras de artistas consagrados e novos talentos que despontam no cenário artístico contemporâneo. Entre uma compra e outra, um cafezinho à altura, nas xícaras que podem custar até 10 reais, mas preparadas com grãos superselecionados.

Manhã
Que tal começar um dia glamouroso com um café da manhã num dos hotéis de luxo da cidade, que possuem até 60 itens no desjejum de seus restaurantes? Após se esbaldar, passe por algum shopping com as mais refinadas lojas de móveis e decoração da capital. Há ainda boutiques, algumas com 20 mil metros quadrados e pátios inspirados em vilas italianas, que misturam o moderno e o clássico e oferecem produtos das marcas mais conceituadas do mundo, à disposição de quem puder pagar. Depois disso, o momento é ideal para uma pausa nas compras. Vá admirar um pouco das belezas da cidade através de um vôo panorâmico de helicóptero, que pode ser alugado em dois lugares: Aeroporto de Congonhas ou Campo de Marte.

Tarde
Almoçar em um local requintado, mas com jeitinho de casa da vovó é comum em São Paulo. As opções são diversas. Depois do almoço, caminhe por entre as ruas arborizadas dos Jardins, como a Oscar Freire, e visite as lojas de grifes cobiçadas no mundo todo, localizadas a poucos metros de distância umas das outras. Ao todo, somam mais de 30, com diferentes opções de consumo, como carros, jóias e roupas. Algumas das mais renomadas galerias de arte contemporânea da cidade também estão por ali, exibindo, em seus acervos e exposições, obras de artistas nacionais e estrangeiros. Entre uma compra e outra, vale uma pausa para um café em uma das cafeterias dos Jardins, que contam com renomados baristas preparando suas bebidas requintadas, algumas consideradas por críticas internacionais especializadas. No final da tarde, visite um dos shoppings boutique da cidade, lugares perfeitos para conhecer o universo sofisticado desta megalópole.

Noite
Uma boa pedida para iniciar a noite é jantar em um dos restaurantes renomados de São Paulo. Estique a noite em uma das casas noturnas de grife internacional, as quais só são possíveis de encontrar em São Paulo, esta cidade-mundo.

UM DIA COM AS CRIANÇAS


Nem pense em deixar seus filhos em casa quando vier a São Paulo. Eles vão adorar os brinquedos radicais dos parques de diversões e as imensas áreas verdes para correr. Também se surpreenderão com animais selvagens e bichos peçonhentos, famosos pelo trabalho científico. E até mesmo na hora do almoço eles vão se divertir muito, pois há restaurantes com cara de fazenda na cidade. Com tantas atrações, seus filhos nunca mais deixarão você vir sozinho em sua próxima viagem de negócios.

Manhã
Com arquitetura imponente, as padarias de região dos Jardins uma ótima opção para tomar café da manhã com a família inteira. O locais geralmente, além da padaria tradicional, abrigam lanchonete e bufê self-service. Depois, faça uma visita ao renomado Instituto Butantan, o responsável pela produção de mais de 80% dos soros e vacinas brasileiros. Dentro do Instituto, o Museu Biológico tem muita coisa a ensinar sobre cobras, serpentes, escorpiões e aranhas. O Museu da Microbiologia, também no Instituto, demonstra o mundo dos microorganismos. Ainda no mesmo local, apenas em prédios diferentes, o Museu Histórico relata desde como eram realizadas as pesquisas sobre vacinas antigamente, chegando às técnicas atuais. Para fechar a manhã e iniciar bem a tarde deste dia de pura diversão, a dica é recorrer, para um almoço caprichado, a um dos restaurantes com jeitão de fazenda do interior que existem na cidade.

Tarde
Depois do almoço, os pequenos querem mais diversão. Uma opção é brincar no Parque da Mônica, que remete aos personagens criados por Mauricio de Sousa. O espaço ocupa uma área de 10 mil metros quadrados no Shopping Eldorado e o público interage em todas as atrações, desde o teatro de fantoches até os brinquedos participativos, passando pelo Cine3D. Mas este parque pode entediar um pouco as crianças um pouco maiorzinhas, com mais de 7 ou 8 anos de idade. Se este é o caso das suas, troque o local pelo Playcenter, na Marginal do rio Tietê. Inaugurado em 1973, o parque dispõe de mais de 30 atrações, muitas delas radicais. Há também opção para quem prefere um passeio em contato direto com a natureza e quer aprender um pouco mais sobre os animais. Neste caso, vale ir ao Zoológico de São Paulo, criado em 1957, pelo governador da época, Jânio Quadros. O parque possui mais de 3,2 mil espécies animais, que vivem numa área de mais de 820 mil metros quadrados, entre elas mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados dispostos em ambientes que se assemelham ao habitat natural. Bem ao lado, fica uma das maiores áreas de Mata Atlântica preservada na cidade (500 mil metros quadrados), o Zôo Safari. Ali, os visitantes entram de carro para fazer uma espécie de safári e ver os animais que vivem soltos (como cervos, leões, tigres e onças) bem de perto. Se ainda sobrar um tempinho, outro local que fica bem próximo ao Zoológico e merece uma visita é o Jardim Botânico, onde as crianças aprendem sobre a flora nativa se divertindo e podem também correr por uma imensa área verde.

Noite
Se a família ainda tiver pique para um bom entretenimento noturno, vá a um típico restaurante informal com estilo norte-americano. Há redes instaladas na cidade com o conceito de desordem elegante, ambiente cômodo e relaxante e cardápio que inclui grelhados, saladas, massas, sanduíches e, claro, menus especiais para as crianças. Elas merecem!

UM SÁBADO TÍPICO


Assim como os paulistanos, acorde tarde para relaxar e curtir sem pressa as feiras de antiguidades e artesanato, além das lojas transadas da Vila Madalena. Depois devore sem culpa o churrasco ou as massas das casas italianas. Quando o sol vai embora, começa a peregrinação pelos barzinhos dos bairros badalados. É o aquecimento para a noite, que, como na sexta-feira, sempre ferve até a alta madrugada.

Manhã
As padarias da Vila Madalena são famosas por seus pães quentinhos, bolos e doces. Mas o melhor são os fartos bufês de café da manhã, que incluem brioches, croissants, carolinas e outras guloseimas, ideais para começar bem o seu sábado. Depois de curtir o banquete matinal, nada melhor do que se perder entre as barracas da Feira de Antigüidades da Praça Benedito Calixto, sem precisar sequer sair do bairro. O local conta com barracas que comercializam objetos antigos, no melhor estilo “mercado de pulgas”. Aproveite e entre nas transadas lojas de decoração que rodeiam toda a praça. Ande pela Vila Madá e não perca as livrarias e os ateliês de artes e móveis. Se a fome bater, prove as famosas empanadas ou as especialidades de uma das cantinas do bairro.

Tarde
Se sua preferência for por carnes, São Paulo tem enorme gama de boas churrascarias e opções à la carte das mais estreladas. Vale a pena cruzar a cidade até a boemia da Bela Vista e sua origem italiana, famosa pelas massas de tradicionais cantinas paulistanas. Caso não esteja com fome suficiente para uma farta refeição, apenas belisque um delicioso pão italiano com sardela e beba uma boa taça de vinho. Ainda na Bela Vista, o agito de sábado começa cedo, em casas já conhecidas da cidade, que reúnem fãs do rock tradicional, do blues e da música eletrônica. Se preferir peregrinar de um bar a outro, como é costume paulistano, volte para a Vila Madalena e pule de bar em bar numa das regiões com a maior concentração de bares por metro quadrado da cidade, sempre lotados.

Noite
Nessa mesma região, você poderá encontrar alguns dos melhores restaurantes japoneses de São Paulo, que oferecem jantares regados a sushis e sashimis, servidos até mesmo no balcão. Os marroquinos não são menos interessantes, com seus cuscuzes e especiarias. Após o jantar, é hora da balada nas casas noturnas mais agitadas da cidade, no Itaim. Sempre lotadas de gente bonita, abrigam shows e discotecagem mesclando soul, black music e MPB. Há ainda opções para quem tem mais de 40 anos e curte MPB, com mesas lotadas até as 5 da manhã.

UM DOMINGO TÍPICO


Nem no dia do descanso os paulistanos abandonam as compras. O há diversas barracas de antiguidades, e o bairro da Liberdade é palco de uma feira de peças de artesanato e comidas típicas do Japão. Aliás, não há dieta que resista a essa programação, pois até um simples sanduíche de mortadela tem significado especial. Mas reserve espaço no estômago, pois o domingo sempre acaba em pizza.

Manhã
Comece o dia no Centro provando as deliciosas refeições dos cafés próximos à estação São Bento do metrô. Mas a refeição tem que acabar antes do início da missa na Basílica de São Bento. Aos domingos, a missa é celebrada sempre às 10h, em canto gregoriano. Mesmo quem não é católico aproveita o programa na igreja erguida por monges beneditinos em 1598 que esconde relíquias, como a sepultura do bandeirante Fernão Dias. Ao lado da sacristia, adquira os deliciosos pães e bolos preparados pelos frades. Deixando o local pelo Largo de São Bento, à direita, siga pela Rua Líbero Badaró até o Viaduto do Chá, inaugurado em 1892, época em que se pagava pedágio para atravessá-lo. Do alto do viaduto, contemple o Vale do Anhangabaú e o majestoso prédio do Teatro Municipal. Aberto em 1911, é uma cópia, em menor escala, da Ópera de Paris. Possui lustres de cristal e balcões revestidos com folhas de ouro, que valem a visita. Depois, caminhe até o Mercado Municipal Paulistano, onde é costume fazer compras experimentando as delícias dos boxes de frutas, laticínios e doces. Recém-restaurado, o edifício neoclássico, erguido em 1933, exibe belíssimos vitrais que retratam os lavradores de café. Aproveite a visita e não deixe de provar o famoso pastel de bacalhau ou o turbinado sanduíche de mortadela, ambos imperdíveis.

Tarde
Domingo é dia de feiras clássicas, como a de antiguidades do Masp. Outra com cara de São Paulo é a da Liberdade, bairro oriental fundado por imigrantes japoneses no início do século 20. Fica ao lado da estação de metrô de mesmo nome e acolhe também chineses e coreanos. Suas ruas com luminárias típicas, restaurantes e lojas de produtos asiáticos são o charme da região. Aos domingos, todos curtem a Feira da Praça da Liberdade, que oferece alimentos e artesanato típicos. Outra visita obrigatória é ao Museu da Imigração Japonesa, que conta a comovente história dos imigrantes nipônicos. Aos finais de semana de julho, o bairro é palco do Festival das Estrelas (Tanabata Matsuri), onde tradicionalmente cerca de 100 mil pessoas fazem pedidos e assistem aos shows típicos de dança e canto.

Noite
O domingo dá sinais de que está terminando quando concorridos barzinhos em Pinheiros perdem parte de seu público para os espetáculos teatrais, já que começam mais cedo no primeiro dia da semana, por volta de 18h ou 19h. Uma boa pedida é assistir a uma peça no Teatro Cultura Artística, na Consolação. Em seguida, não pode faltar a tradicional pizza domingueira. Experimente parar em uma das inúmeras pizzarias espalhadas por São Paulo, que oferecem uma redonda mais caprichada e recheada que a outra. Se ainda tiver gás para enfrentar o fim de noite, o endereço é a Vila Madalena, com bares que vivem lotados. Além do chope e petiscos, você ainda pode se servir de um providencial caldinho de feijão para ajudar a enfrentar a segunda-feira que está por vir.

***Fonte: conteúdo fornecido pela São Paulo Turismo baseado no Guia São Paulo Fique Mais um Dia – Editora Abril.
 
Siga a Must Tour no Twitter
Cadastre-se e receba nossas atualizações
Confira o canal Must Tour no Youtube